terça-feira, 9 de maio de 2017

ANTÓNIO O «ERMITÃO»


(continuação)

 Alguns anos depois, já a trabalhar na "NOTÍCIAS MAGAZINE", soube pelo irmão José que a situação se mantinha inalterável.
Disse-lhe que achava esta história fabulosa e que era do interesse da Revista conseguirmos uma Reportagem sobre o PASTOR EREMITA na Região do Cântaros, pedindo e obtendo para tal "empreitada" a sua preciosa ajuda. Chegado o dia e hora combinada lá estávamos os três (eu, o jornalista Eugénio Pinto e o pastor José no Covão da Ametade, por onde entramos, rumo aos Cântaros. A subida foi difícil para mim, não só pelos meus cinquenta e quatro anos na altura, mas porque estava ainda convalescente de uma perigosa enfermidade; não conseguia por isso, levar o saco do equipamento comigo, mas logo o amigo José se ofereceu para tal. Foi um regalo ver a facilidade com que um pastor habituado à Serra, galgava tão inóspita e difícil subida, avisando-nos para que não olhássemos para baixo e dando-me muitas vezes a mão, temendo que eu caísse. Até que por fim chegamos ao fantástico cenário composto pelos Cântaros Gordo, Magro e Raso. O António não sabida do nosso plano, não estava por isso à nossa espera, nem preparado para rejeitar/dificultar a nossa visita. Foi maravilhoso chamarmos por ele e termos como resposta o fantástico eco das nossas vozes.
 
«continua»



Sem comentários:

5ª TERTÚLIA A 02 DE JULHO

5ª TERTÚLIA A 02 DE JULHO
COM A ARTE NO OLHAR